Bernard Frize rompe com os códigos no Centro Pompidou

Publicado em 

Bernard Frize rompe com os códigos no Centro Pompidou

De 29 de maio a 26 de agosto de 2019, o Centro Pompidou, em Paris, vai receber uma exposição única. O pintor Bernard Frize convida para uma viagem entre abstração e figuração.

Bernard Frize rompe com os códigos no Centro Pompidou

Estrutura da desestruturação

Há mais de 15 anos Bernard Frize não era homenageado em Paris. Um longo período de espera, mas também de criatividade, que torna a exposição “Bernard Frize: sem arrependimento” do Centro Pompidou ainda mais interessante.

O pintor foi descoberto nos anos 1970 pelo seu procedimento “All over”, que consiste em dividir de forma homogênea a tinta sobre toda a superfície. Na época ele afirmava seu intuito de transformar os códigos da pintura. Após suas primeiras exposições pessoais, morou como pensionista na Villa Medici de Roma, em 1984. Com o passar dos anos, ele integrou elementos figurativos e se aprofundou na fotografia. Seu reconhecimento é mundial.

Hoje, Bernard Frize divide o seu tempo entre Paris e Berlim. Ele se tornou um dos maiores atores da cena artística internacional, acolhido por museus de arte contemporânea de prestígio: o Museum moderner Kunst de Vienne, o Reina Sofia de Madrid, o Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles ou, ainda, a Fundação Caixa de Barcelona. Uma verdadeira volta ao mundo com uma etapa imperdível no Centro Pompidou. Confira cerca de 70 obras, das mais recentes às mais antigas, e mesmo suas primeiras produções.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Bernard Frize rompe com os códigos no Centro Pompidou

Harmonia da diversidade

Seu percurso na exposição é totalmente livre, sem direção nem hierarquia impostas. Os quadros são organizados de acordo com seis temas que estruturam sua produção pictural: “Com insensatez”, “Sem esforço”, “Com sistema”, “Sem sistema”, “Com domínio”, “Sem pausa”. Tudo é paradoxal, associando o espectador ao próprio ato de criação artística.

À preocupação estruturadora de toda a sua obra inovadora se acrescentam assuntos que Bernard Frize preferia, como a preguiça, o absurdo, o aleatório e o lugar do artista no mundo. Para se expressar, o pintor e fotógrafo recorre incessantemente a métodos diversos. Melhor ainda, ele os explora sem cansar: figuras geométricas, simples traços com o pincel, bem como tecelagens, cores variadas... Cabe aos visitantes se questionarem seguindo as perguntas profundas do artista conforme vão percorrendo a exposição.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Bernard Frize rompe com os códigos no Centro Pompidou

Figuração ou abstração?

Bernard Frize alterna em permanência o figurativo e a abstração.

Os paradoxos das temáticas que lhe são caras irrigam toda a sua abordagem criativa. Assim, você descobrirá quadros infinitamente ricos, às vezes desconcertantes, mas muito vivos, sempre acompanhados por um comentário do artista. Entre os mais conhecidos, reflita ao admirar o misterioso Artigo Japonês (1985) ou o desfocado e colorido Oma (2007).

A exposição também apresenta um lado menos conhecido do artista: a fotografia. Nuvem sobre o litoral Atlântico (1988) faz parte dos retratos míticos do artista. Com um fundo preto intenso, a nuvem flutua na frente do espectador, tomado pela obra.

Bernard Frize: Sem arrependimento
De 29 de maio a 26 de agosto de 2019
Centro Pompidou
Place Georges-Pompidou
75004 Paris
+33(0)1 44 78 12 33
www.centrepompidou.fr/en