Cap 110, pela memória dos homens sem rosto

arte e culturaexploração
Cap 110, pela memória dos homens sem rosto

No sul da ilha, a comuna de Diamant cativa os turistas. Visite o Memorial de Anse Caffard, no silêncio, uma homenagem modesta e digna.

Na orla do Caribe, quinze estátuas de concreto se erguem de frente para o mar. Orientadas para o cap 110, são quinze colossos vestidos com a brancura das sepulturas tradicionais. Em 8 de abril de 1830, um navio vindo do golfo de Guiné ancora ao largo de Diamant. O mar de vento provoca uma onda e o mastro do navio se quebra. Apesar da proibição do comércio de pessoas escravizadas, 300 delas estavam acorrentadas no fundo do navio e tentaram sobreviver ao naufrágio. Oitenta e seis escaparam, e 46 cadáveres seriam recuperados.
Na ocasião do 150º aniversário da abolição da escravatura, o artista Laurent Valère cria essas figuras imponentes de cabeça inclinada, símbolos desses homens presos pelo comércio de pessoas escravizadas e encurralados pelo mar quando dele tentavam fugir. No dia seguinte ao drama, os corpos foram enterrados em Anse Caffard. O memorial homônimo conta a história trágica desses homens desconhecidos, cuja liberdade foi roubada.

Cap 110
Route de l'Anse Caffard
97223 Le Diamant