Esplanada das Nações : um lugar engajado

monumento
Esplanada das Nações : um lugar engajado

Tudo sobre a Esplanada das Nações nos lembra as lutas das organizações internacionais para um mundo melhor e mais justo. Andar ali é uma experiência por si só.

A Esplanada das Nações, esta grande área, criada em 2007, consiste em faixas de granito vindas dos países membros da ONU, o solo “internacional”, alternadas com lajes de concreto cinza usadas para as calçadas de Genebra, o solo “neutro”. Uma fonte colossal joga ali seus 84 jatos de água, ecoando as organizações internacionais presentes no distrito. Os jatos são ligados de forma lúdica e são desativados para dar lugar aos encontros, frequentes ali.

Uma escultura domina a praça do alto dos seus doze metros: Broken Chair (“a cadeira quebrada”). Foi concebida em 1997 pelo escultor Daniel Berset a pedido da Handicap International para interpelar e convencer as nações a assinar a convenção que proíbe as minas antipessoais.

Repousando sob três pés, o quarto sendo quebrado a meia altura, nos lembra de forma vibrante a situação das vítimas de minas antipessoais. As duas paredes em torno da entrada do Palácio das Nações são adornadas com motivos sobre o tema da paz, desenhados pelo pintor Hans Erni em 2009 e 2012. A Praça das Nações o faz mergulhar de forma desconcertante no coração de uma floresta de símbolos.

A Esplanada das Nações
Praça das Nações, em frente à ONU
1202 Genebra