Deficiência intelectual

A Air France permite que a grande maioria das pessoas com deficiência intelectual viaje sozinha.
Para tanto, elas devem estar em condições de entender e aplicar as medidas de segurança. Contudo, é necessário considerar todas as características de uma viagem de avião:
  • os percursos nos grandes aeroportos podem ser complexos, longos e difíceis;
  • as formalidades de segurança, polícia e alfândega podem ser longas, estressantes e às vezes intrusivas;
  • nos aeroportos internacionais há verdadeiras dificuldades linguísticas e de orientação;
  • o voo pode ser perturbado por turbulências e/ou exigir medidas de segurança extraordinárias.
Importante
Recomendamos fortemente que não superestime a capacidade de uma pessoa com deficiência intelectual de enfrentar todos esses obstáculos.
Recomendamos também que reserve o voo de uma pessoa com deficiência intelectual no mais tardar 48h antes da partida, para que a assistência mais adaptada possível à situação dela possa ser organizada.

Nota: para alguns tipos de deficiência que acarretam perdas de memória ou orientação (ex.: doença de Alzheimer), os riscos de não aplicação das instruções fornecidas pela equipe são verdadeiros: por exemplo, desembarque sem esperar a assistência prevista, o que pode causar consequências graves (a pessoa em questão pode se perder dentro ou fora do aeroporto, utilizar meios de transporte inadequados, ter dificuldades para se localizar…).

Se a pessoa que vai viajar puder se encontrar nessas situações, recomendamos fortemente que ela viaje acompanhada.

No aeroporto

Para as pessoas com deficiência intelectual que viajam sozinhas, uma assistência é prevista em todos os aeroportos, permitindo-lhes principalmente:
  • deslocar-se;
  • efetuar o check-in bem como o de suas bagagens;
  • ir até o avião;
  • embarcar e instalar-se a bordo; - sair do avião;
  • recuperar as bagagens;
  • sair do aeroporto.
Este serviço também está disponível durante a escala para permitir que essas pessoas sejam transferidas de um voo para outro.
Nota: trata-se de um serviço de acompanhamento do passageiro pelos diversos pontos de formalidades (polícia, alfândega, segurança, etc.) e não de uma assistência pessoal para preencher essas formalidades.

Nos aeroportos europeus, essa assistência é da responsabilidade dos gestores dos aeroportos.

A bordo

Mesmo que nenhum meio de identificação “físico” (crachá, etiqueta, etc.) esteja previsto, a equipe de bordo deve estar em condições de identificar uma pessoa com deficiência intelectual para prestar a assistência necessária, principalmente em situação de emergência. E também para fornecer instruções específicas, não relacionadas à segurança, quando preciso (principalmente para esperar a assistência antes de desembarcar). Por isso, recomendamos fortemente que nos informe a viagem de uma pessoa com deficiência intelectual e o tipo de assistência necessária.

A assistência às pessoas com deficiência intelectual não inclui:
  • ajuda para se alimentar ou tomar remédios;
  • ajuda nos banheiros;
  • ou qualquer outra ajuda de caráter pessoal.
Por isso, é preciso garantir que a situação pessoal da pessoa que viaja sozinha permite assumir, sem ajuda de outrem, todas as exigências necessárias para uma viagem aérea.

Caso contrário e para evitar qualquer dificuldade a bordo, recomendamos fortemente que uma pessoa com deficiência intelectual viaje acompanhada.
return to top of page